Metodo Stévanovitch

     "A minha única intenção é transmitir, pagar a minha dívida para com os meus mestres, que tanto se esforçaram para me ensinar. Mas os meus mestres não me ensinaram somente técnicas, eles ajudaram-me a entender o que está para além das técnicas e da arte: a Vida. Eles mostraram-me um Caminho: o da comunicação com todos os seres vivos, da integração consciente neste imenso impulso de alegria, que é O Caminho da Vida ... "(Vlady Stévanovitch).

     

     O método Stévanovitch é adaptado ao nosso tempo e aos praticantes de hoje. A pedagogia, clara e progressiva, disponibiliza as técnicas tradicionais de energia da Ásia. O espírito universal dessas práticas é privilegiado.   Os aspetos relacionados às culturas do Extremo Oriente não são relevantes para o trabalho que realizamos. A "Art du Chi" possui diferentes técnicas;

      -Três formas de Tai Ji Quan (a forma corta das 24, a forma clássica das 108, a forma "secreta" das 127 posturas);
     - Exercícios Qi Gong (11 exercícios de saúde, 8 brocados);
     - Exercícios de respiração e relaxamento;

     - Técnicas de trabalho com o Qi (os tantiens, micro orbita, circuito grande, os aneis, o ponto último, o eixe interior,....)
     - Meditação (concentração, intenção, presença, mindfulness, fonte do Ser,...)
     - Uma sequência rápida marcial chamada "Kirikido", derivada de um kata de Kung Fu;
     - Técnicas vocais de energia;

     

     A mobilização do Chi é o primeiro objetivo da Escola do Caminho Interior. A harmonia e a beleza que emanam desta prática, a busca permanente e o desenvolvimento do potencial interior que ela implica tornam-na numa arte. O ensino abstém-se de qualquer conotação religiosa e vira as costas para o espetacular e a competição. 
 

Art du Chi

       A "Art du Chi" é uma arte corporal milenar, incluindo técnicas energéticas tradicionais e movimentos lentos que promovem a circulação da energia no corpo.

 

       A "Art du Chi" é orientada, em primeiro lugar, para o bem-estar e a saúde. O instrumento privilegiado desta abordagem é o Chi ou Qi, muitas vezes traduzido como energia vital. É a pesquisa sobre o Chi que caracteriza todos os nossos exercícios e o nosso trabalho. Ele provém das artes internas tradicionais chinesas, como Tai Ji Quan ou Qi Gong, e de outras artes orientais.

 

      A "Art du Chi" leva-nos a explorar a nossa mente, a nossa vontade de ir mais longe e aceder a camadas mais profundas de Ser e da Vida. Esta é um Caminho.

 

      Para seguir este Caminho, esta exploração do mundo interior, Vlady Stévanovitch reuniu de forma coerente todas essas técnicas e desenvolveu o Método Stévanovitch.

 

     A "Art du Chi" é agora transmitida em 15 países, com 280 professores e 8 mil alunos.

 

Ensino

Orientação

 

     O Chi ou Qi, pode ser usado para uma variedade de propósitos, incluindo lutas, cuidados, vida diária ou atividades espirituais.

     Na Escola do Caminho Interior, o Chi é um instrumento de comunicação com os outros e com a natureza. É ao mesmo tempo um instrumento de exploração de nós mesmos. Do nosso corpo para começar. Mas também, muito além do corpo percebido, da nossa profunda realidade, do que somos fundamentalmente antes de qualquer diferenciação: unidades da vida.

 

     "Esvaziar a consciência de todo pensamento, de todas as imagens mentais, para parar o monólogo interno. Alcançar o vazio mental. Uma pesquisa cuja ferramenta é o verbo ou o pensamento é incompatível com a busca do Mundo Interior. É o caminho do silêncio. Isso leva a superar os limites da consciência, mas via a paz interior, o equilíbrio mental e físico, a saúde, o bem-estar e a felicidade. Tudo abundantemente regado com Amor. "

 

     Vlady Stévanovitch

 

 

 Descrição do curso

 

     As sessões são divididas em duas partes.

 

     A primeira, o trabalho no solo, é uma preparação essencial para Tai Ji Quan e Qi Gong que praticamos.

     Nas aulas semanais, a primeira parte permite que você se acalme, tome o tempo para deixar o frenesim diário para alcançar um tempo mais lento, uma presença no corpo, nas suas sensações, ritmos e bem-estar.

     No treino intensivo, o dia é pontuado por quatro cursos, dois cursos no chão e dois em movimento. Esta distribuição possibilita aprofundar cada técnica e também percepcionar os resultados.

     Cada exercício, cada técnica é feita com respeito pelo corpo e seus limites. Nossas ferramentas são as do corpo: percepções, trabalho muscular, imaginação, respiração e intenção.

 

     A segunda é a prática em movimento.

     É tão ilusório praticar Taï Ji Quan sem o apoio de Chi quanto a praticar técnicas de Chi sem as perceber, sem incorporá-las no movimento.

     "A repetição correta dos movimentos de Tai Ji Quan tem um certo efeito sobre o Chi". Essas duas dimensões da nossa pesquisa influenciam-se mutuamente.

 

Sons portadores de Chi

     Os sons de energia podem ser veículos de Chi com uma eficiência incrível.

 

     Portanto, quando se possui as técnicas de manipulação do Chi, como as propostas na "Art du Chi", pode-se introduzir intencionalmente uma energia maior no som emitido.

 

     E algumas técnicas vocais são melhores que outras. No Oriente, isso levou à pesquisa e ao desenvolvimento de emissões sonoras surpreendentes. Ao mesmo tempo, são produzidas duas ou mais harmônicas sobrepostas que a orelha distingue muito claramente uma da outra.

 

     Estes sons podem ser veículos do Chi de uma eficiência surpreendente, uma vez que é possível, por variações de altura e intensidade, alcançar o recanto mais pequeno do seu corpo, fazer vibrar, capturar o Chi ... e para conseguir desta forma uma limpeza completa. A maioria dos praticantes irá dizer-lhe que após algumas horas de trabalho de sons contínuo, um é metamorfoseado fisicamente e mentalmente. "      Vlady Stévanovitch

     Para saber mais clique aqui.

 

Follow us

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle
  • Twitter - White Circle

​© 2023 by Sun Yoga. Proudly created with Wix.com

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now